Você saberia avaliar uma habilidade cognitiva do seu filho?

Quais são seus maiores talentos?

No que você acha que ele sente maior dificuldade?

O processo de aprendizagem, tanto em casa quanto na escola, é composto por muitas vertentes e muitas vezes é preciso compreender quais são suas maiores habilidades cognitivas e não-cognitivas.

Para isso, é importante que você saiba diferenciar ambas e entender qual é a importância que exercem na hora do desenvolvimento escolar.

As habilidades cognitivas são aquelas relacionadas ao conhecimento, ou seja, tudo aquilo que fará diferença na relação do aluno com as disciplinas que aprenderá na escola e até mesmo na escolha de sua profissão no futuro.

Como exemplo, podemos citar: a facilidade de resolver cálculos matemáticos, habilidade em decorar datas históricas, afinidade com a língua, bem como facilidade para aprender outros idiomas, etc.

Os indivíduos são diferentes uns dos outros e, consequentemente, apresentam diferentes habilidades. Isso é uma grande vantagem da natureza humana e permite que a vida em sociedade seja proveitosa como um todo.

Como as Habilidades Cognitivas Afetam o Comportamento?

habilidades-cognitivas-e-a-profissao

A depender das habilidades cognitivas de uma criança, ela pode se mostrar mais interessada em estudar, pesquisar e aprender algumas disciplinas e deixar outras para segundo plano.

Não é incomum que crianças com afinidade com a matemática gostem de brincar com jogos, charadas, cubos mágicos e similares.

Crianças com habilidades cognitivas relacionadas à língua e à leitura, de um modo geral, se interessarão por jogos de montar palavras, revistas em quadrinhos e livros diversos.

Pais atentos saberão identificar quais são as possíveis habilidades cognitivas que o seu filho possui e é interessante que não as reprima.

Afinal, não há como mudar a essência de uma pessoa ou mesmo fazer com que ela desenvolva um talento com o qual não nasceu e não possui afinidade.

As habilidades cognitivas, durante muito tempo, protagonizaram o processo de aprendizagem.

Muitas escolas, colégios, professores e pesquisadores da didática acreditavam que o talento para lidar com o conteúdo e bons resultados nos testes escolares eram tudo o que os alunos necessitavam para serem bem-sucedidos.

Porém, recentemente descobriu-se a importância das habilidades não-cognitivas no processo de aprendizagem.

Como habilidades não-cognitivas, podemos entender todas as habilidades de um indivíduo que não estão relacionadas à ciência e ao conhecimento, tendo caráter mais pessoal.

São habilidades que permitem ao aluno absorver o conteúdo escolar necessário e garantem que estejam preparados para enfrentar alguns desafios.

Embora não seja viável listar todas as possíveis habilidades não-cognitivas, podemos citar como exemplo: paciência, determinação, persistência, paciência, calma, tranquilidade, autocontrole, autonomia, etc., enfim, tudo o que permite que se explore devidamente as habilidades cognitivas.

Habilidades Cognitivas Na Escolha da Profissão

habilidades-cognitivas

É bastante comum que as pessoas decidam suas atividades profissionais a partir de suas afinidades.

Médicos, matemáticos, linguistas, tradutores, engenheiros e muitos outros profissionais não raro demonstram sua inclinação para a tarefa desde ainda crianças.

Por essa razão, é importante recomendar aos pais que não alimentem expectativas desleais com relação à profissão dos filhos.

Cada indivíduo nasce com algumas tendências, descobre outras ao decorrer da vida e decide, com base nisso, o seu caminho.

Constrói sua carreira com base naquilo que se sente seguro em fazer.

Portanto, o dever cabível aos pais é identificar os interesses, afinidades, e habilidades dos filhos e incentivá-los, fazer com que se sintam inclinados a ir mais fundo naquilo que lhes desperta interesse.

Assim, a profissão que o seu filho escolherá pode estar estreitamente relacionada com as habilidades cognitivas que possui e cabe a você e aos professores da escola na qual ele estuda incentivá-las e permitir que o interesse pelo conhecimento siga livre o seu curso.

À medida que for possível, deixe que ele escolha atividades extraclasse para desenvolver.

A relação de uma criança ou adolescente com qualquer área do conhecimento dificilmente será nociva.

Se o seu filho apresenta habilidades cognitivas relacionadas à língua portuguesa, dê a ele livros de presente.

Permita que veja documentários, conheça museus e aquários, caso o seu interesse e afinidade seja com a biologia.

Com o apoio e incentivo dos pais, uma habilidade cognitiva pode evoluir para algo grandioso e determinante em seu futuro.