aprendizado-notas-baixas

Você faz o que julga ser o melhor pelo seu filho?

Escolhe uma boa escola e que ele goste para matriculá-lo.

Permite que ele desfrute de todos os hobbies que gosta e que tenha tudo o que deseja, dentro de suas possibilidades?

É um pai ou mãe atento, vai nas reuniões de pais e mestres, conversa com os professores, leva o seu pequeno para estudar na casa de amigos, enfim, move montanhas para que tudo corra bem na escola.

Mas quando o boletim chega é sempre um desastre!

E é o momento de você certamente se perguntar:

  • Cometi algum erro?
  • O que eu deixei de fazer?

Ainda que a responsabilidade não deva ser atribuída diretamente a você, já que há uma possibilidade de o seu filho ter negligenciado sua vida escolar, podemos apontar algumas coisas que podem ser feitas ou mudadas – e até algumas que você deve deixar de fazer – na tentativa de mudar a realidade das notas vermelhas.

Infelizmente, a tradição nos ensina que notas vermelhas é sinal de aluno incompetente, preguiçoso, menos capaz do que os outros, e isso não é verdade.

Um zero em uma avaliação e uma média ruim do boletim devem ser investigados com bastante cuidado, para que você não corra o risco de ser injusto nem com o seu filho e nem com os professores ou colegas dele.

Tirar uma nota baixa é a consequência de um método ou processo de aprendizagem que não está dando certo e isso pode ser responsabilidade do professor ou do aluno.

Quando esta responsabilidade foi completamente do aluno, há medidas que podem ser tomadas pelos pais para que haja uma melhora nas notas da próxima vez.

Ter Tudo Na Mão É Perigoso

criança-deitada-com-video-game

O que mais podemos ver por aí são pais que fazem “das tripas coração” para agradar os filhos e este tipo de atitude é alertada pelos psicólogos.

Quando os filhos possuem tudo o que deseja a seu tempo, perdem o senso de desafio, de paciência e de responsabilidade.

Não acreditam em recompensas, mas que têm sempre o direito àquilo que desejam, independente do que seja.

Por isso, se você é do tipo que gosta de realizar rapidamente todos os caprichos de seus filhos, tome muita cautela, pois isso também pode refletir em suas notas na escola.

Afinal, se ele não tem vontade ou motivo para estudar, por que o fará?

Por que prestará atenção nas aulas?

É uma questão a se refletir.

Nestes casos, sempre vale a pena pensar em não realizar os seus desejos enquanto ele não melhorar o seu rendimento na escola, buscando despertar seu empenho e sua determinação.

É importante ressaltar que adotamos como causa neste caso a falta de empenho dos alunos, de modo que esta é apenas uma das inúmeras possíveis causas das notas baixas.

Notas Nem Sempre Representam o Aluno

Boletim

A avaliação do rendimento do aluno através de provas vem sendo muito questionado nos últimos anos.

Isso se explica pelo fato de que um teste escrito nem sempre pode atestar a capacidade, competência ou esforço que um aluno emprega nas suas atividades escolares.

Muitos alunos acabam por decorar o conteúdo antes de fazer a prova, esquecendo tudo logo na semana seguinte.

Alguns ficam nervosos com a perspectiva de ser testados e tiram notas ruins, mesmo sabendo o conteúdo.

Outros escrevem de um modo que não agrada ao professor e obtém um rendimento ruim de acordo com os pontos distribuídos.

Você precisa considerar todos estes fatores antes de punir o seu filho por não ter estudado ou por supostamente não ser bom na escola.

Para ser justo, é importante que você tome conhecimento do esforço que ele emprega e do quanto está por dentro do conteúdo apresentado em sala de aula.

Se ele se esforça e mesmo assim não consegue, sua função é ajudá-lo de todas as formas que puder, seja conversando com professores, recorrendo a aulas de reforço e outras medidas que podem ajudar.

Humanas x Exatas

Quadro-negro-matematica

É extremamente comum descobrir alunos para tipos de ciências diferentes.

O seu filho tira nota 10 em português e 0 em matemática.

O que você pode dizer sobre isto?

Que não se esforçou o suficiente, ou que se prontifica a estudar para uma disciplina e para outra não?

Na verdade é uma questão de afinidade.

Os alunos possuem diferentes tendências e se identificam com algumas disciplinas e até mesmo com o método do professor, sendo a recíproca também verdadeira!

Podem antipatizar com o professor ou mesmo não compreender sua maneira de explicar a disciplina.

Quanto há isso, não há nada que você possa fazer, a não ser ajudar o seu filho nas matérias com as quais ele tem mais dificuldade, ao menos de forma suficiente para sair do vermelho.

A Escola

adolescente-desconcentrado

Se você parar para pensar, a escola é realmente um grande desafio.

Os alunos são forçados a estudar conteúdos que acham desinteressante ou que geralmente detestam, pois isso é decisivo para o futuro deles.

São obrigados a entender diferentes métodos e a aguentar uma carga horária que cresce a cada ano.

São mais de dez disciplinas no ensino médio; mais de dez professores.

O turno da manhã ou da tarde já não é mais suficiente: precisamos de ambos para que tudo seja visto, aprendido, revisado.

Temos, na escola, mentes brilhantes com boletins vermelhos.

Geralmente pessoas que, ao entrar na universidade, se destacam de forma surpreendente, só pelo fato de finalmente estudarem aquilo que gostam ou dominam.

Por isso, não se abata com as notas baixas do seu filho e não deixe ele se abater, também.

É um problema comum e com calma, tudo se resolve.

Descubra o que o aflige, o que o desmotiva na escola e atue sobre isso!

Você não pode forçar o seu filho a gostar de um conteúdo, mas pode fazer com que ele desperte o senso de responsabilidade para lidar com aquilo que é obrigação dele, por mais difícil que possa parecer.

É o momento de você mostrar que o seu apoio atenuará esta dificuldade e todas as outras que surgirem ao longo da vida.