A partir do momento que entendemos o que de fato são as habilidades cognitivas, fica bastante fácil entender a sua importância no processo de aprendizagem.

Desde cedo, pais e mães observam quais são os maiores talentos de seus filhos.

Quando você acompanha a sua criança de perto, sabe afirmar quais são as coisas que ela aprendeu mais cedo ou mais tarde, bem como as maiores dificuldades que ela apresenta.

Nas melhores escolas, os professores conseguem captar rapidamente quais são estas dificuldades e talentos desde os primeiros anos.

Na maioria dos casos é possível trabalhar no sentido de eliminar estas dificuldades apenas mudando o método de ensinar.

As habilidades cognitivas são, basicamente, as habilidades relacionadas ao conhecimento.

São como ferramentas naturais que permitem ao aluno tirar boas notas e entender o conteúdo ensinado na escola de forma mais profunda.

Com o passar do tempo, alunos com mais habilidades são capazes de dominar quase todo o conteúdo necessário para ter um bom resultado em provas de vestibular, na faculdade, em concursos e também na profissão.

No entanto, as habilidades não-cognitivas foram incluídas no processo de aprendizagem.

Ao contrário das cognitivas, as habilidades não-cognitivas não estão diretamente relacionadas com o conhecimento, mas possuem caráter mais pessoal.

São qualidades que as pessoas possuem para lidar com situações específicas.

Antigamente o foco no processo de aprendizagem se encontrava apenas nas habilidades cognitivas, mas agora se reconhece a importância de ter qualidades como calma, capacidade de concentração, determinação e muitas outras para que as habilidades cognitivas possam se manifestar completamente.

Afinal, um aluno que sempre fica nervoso antes de provas jamais usará sua total capacidade para concluí-la.

Por essa razão é importante que os professores ressaltem habilidades não-cognitivas dos alunos e busquem maneiras de fazer com que eles as utilizem para estudar, assistir aulas, fazer provas, se preparar para o vestibular, falar em público, etc.

Entenda Seu Filho

habilidades-cognitivas

Não é raro ver pais desesperados porque os seus filhos não se saem bem em matemática, português, educação física ou qualquer outra disciplina.

Por mais que esforços sejam concentrados no sentido de eliminar qualquer falta de afinidade que tenham com algumas matérias, a maioria das pessoas não são capazes de dominar todos os conteúdos da mesma forma e isso já foi provado que diferentes regiões do cérebro de um indivíduo em funcionamento podem resultar em diferentes tipos de habilidades e talentos.

Por isso, se o seu filho detesta os números e por mais que você gaste dinheiro com aulas particulares o quadro não muda, procure aceitar este fato.

Certamente ele apresentará mais afinidade com outras disciplinas como português, história ou biologia.

Embora muitos pais tenham dificuldade de aceitar esta inclinação para um ou outro lado, é essencial deixar que os filhos se dediquem mais às matérias que gostam de estudar.

Isso fará com que sejam curiosos a respeito delas e também pode definir a área profissional que desejam seguir.

Por razão semelhante, podemos observar que as habilidades cognitivas possuem uma importância muito maior do que se imagina na vida de uma pessoa.

A diversidade de áreas de atuação no mercado de trabalho aumenta a cada ano e muitas habilidades antes inexploradas agora ganham espaço e se tornam fundamentais para vários tipos de profissão.

É importante recomendar, tanto para os pais quanto para os professores, para que deixem que os alunos e filhos manifestem livremente suas habilidades, tendências e inclinações em sala de aula ou atividades extraclasse.

As pessoas escolhem o trajeto que desejam seguir em suas vidas de acordo com os seus interesses ou com aquilo que lhes chama a atenção.

Você certamente escolheu sua profissão, atividade e mesmo o estilo de vida que leva por ter lhe atraído de alguma forma e o mesmo acontecerá com o seu filho!

Por isso, evite demonstrar ou mesmo ter preconceitos ou receios com algumas profissões ou interesses.

Afinal, existem profissionais bons e ruins em todas as áreas e o que os define é a sua competência, sua força de vontade, seu caráter e o modo como domina o conhecimento.

Permita que as habilidades cognitivas de seu filho atuem em conjunto com as suas habilidades não-cognitivas e o resultado será uma criança focada, tranquila e que utiliza o máximo de sua capacidade.