amizade-na-escola

Um frio na barriga, um medo e uma ansiedade enorme toma conta de você.

Você está vestido com uma roupa que nunca usou, cheirando a nova.

Sua mochila está cheia de coisas, também nunca usadas.

Você chega neste novo ambiente, repleto de vozes, cheiros e pessoas diferentes.

Parece sentir cheiro de comida também.

Há enfeites por todos os lados, todos muito coloridos.

Você continua com medo, mas sabe que é importante estar ali.

Você é uma criança de 5 anos e há mais um monte delas na sala onde você entra.

O adulto do seu lado vai embora e você se senta em uma cadeira e fica sozinho, sem ninguém da sua casa por perto.

É assustador e curioso.

É o seu primeiro dia de aula!

Quem nunca se lembra da primeira vez que foi à escola?

Uma infinidade de novidades invadindo sua vida, uma mudança brusca na sua rotina.

Muitas crianças têm problemas para se acostumar, enquanto outras parecem ter nascido para viver no ambiente escolar, em comunidade com outras crianças.

Independente da dificuldade de cada um, todos acabam por se acostumar: não há outro destino.

O único caminho para uma criança – ao menos as que tem condições financeiras razoáveis – é a escola.

A cultura da escola é um dos mais fortes e presentes elementos da nossa sociedade.

Representa uma boa parcela da vida das pessoas.

As lembranças dos professores, das lições aprendidas e das brincadeiras parecem nunca se apagar, mesmo quando já estamos grisalhos.

No entanto, há uma lembrança ainda mais forte, que sempre mexe com os nossos corações ao trazermos para o presente – os amiguinhos da infância!

Olhando para trás, mesmo depois de muitos anos, você ainda pode contar qual foi o primeiro a falar com você, ou o que brigava sempre com você, assim como sua primeira “paixonite” infantil.

Há o palhaço da sala, o que era mais tímido e até o mais inteligente.

Todos nós temos muito a dizer sobre essas pessoas que coloriram nossa infância e a marcaram da maneira mais doce.

As lembranças da adolescência não são diferentes, quiçá ainda mais intensas.

Viver a transição para a vida adulta sem companheiros é praticamente impossível de aguentar.

As festinhas da escola, os jogos e tudo o que preencheu aquela época, ao ser lembrado, nos torna absurdamente nostálgicos.

É uma saudade tão grande, uma vontade de voltar no passado, ao menos por um dia, para reviver as piadas engraçadas, os abraços nos momentos difíceis e a gostosa relação de quem convive diariamente na escola.

Os sentimentos vividos por nós nesta fase são incomparáveis.

São únicos e, infelizmente, passam muito rápido!

Ao lembrar da sua vida escolar, você acaba por pensar sobre o quanto tudo aquilo foi importante para que você se tornasse o que é hoje, especialmente as relações que viveu.

Pensando No Seu Filho

mae-e-filho-rindo

O ambiente escolar é, na maioria dos casos, a primeira vez que as pessoas experimentam a convivência social de fato.

Inserir-se em uma sala de aula proporciona muito mais do que aprendizado de matemática, português ou ciências.

É o momento de aprender a lidar com o outro, a conhecer intimamente pessoas que são estranhas, a conversar e conviver com todas elas, aprendendo a aceitá-las, por mais diferente que sejam.

Embora você passe valores que considera importantes aos seus filhos, a escola também possui essa função a começar pela educação infantil, desde as boas maneiras e o respeito ao próximo até complexas lições de ética profissional, passadas informalmente aos alunos do ensino médio.

No ambiente escolar os pilares para o convívio social e profissional são construídos e fortemente solidificados.

Assim, é de extrema importância que o seu filho interaja e tenha amigos desde o momento em que ingressa na escola até o fim dos estudos, mesmo na universidade.

A Amizade

amizade-menino-e-menina

O surgimento e estreitamento de laços de amizade faz com que qualquer ser humano experimente um sentimento que é considerado um dos mais importantes, fortes e mais prazerosos da vida.

É escolher alguém para ter consigo por afinidade, pelo prazer da companhia, por querer bem àquela pessoa, fazer parte dos seus dias, compartilhar experiências e prestar apoio mútuo.

A psicologia defende o cultivo de amizades na escola e crê que sua função pode ir muito além do simples prazer diário na escola, porém ser incentivo de diversas formas, especialmente para aqueles que têm mais dificuldade, tanto no convívio diário com muitas pessoas, quanto para melhorar o rendimento nos estudos.

Ao matricular o seu filho em qualquer escola, é importante que você tente acompanhar a maneira como se desenrola sua vida social naquele novo ambiente.

Se ele se mostra deprimido ou mais alegre, contando muitas novidades.

É importante também dar atenção ao lado negativo desta questão.

Não é incomum que, tanto na adolescência, quanto na infância, haja panelinhas, discriminação e até mesmo bullying, de modo a gerar graves sequelas psicológicas.

É importante, ao perceber que o seu filho está cabisbaixo, descobrir se sua vida social na escola é motivo de incômodo.

Se for, você pode exigir uma postura da escola para minimizar ou eliminar o problema, bem como prestar o seu apoio ao seu filho no que for possível.

Incentive!

crianças-brincando

De um modo geral, é importante que você incentive que o seu filho faça amizades na escola.

Permitir que ele leve os colegas para a sua casa para fazer os trabalhos ou mesmo se divertir também é uma ótima opção para que você os conheça e aos seus pais e analise com os próprios olhos as companhias com as quais o seu filho tem mais afinidade.

Permita que ele frequente a casa dos amigos mais chegados.

Certamente este comportamento estreitará ainda mais os laços de amizade, que podem acompanhá-lo por toda a vida!