Na hora de acompanhar os filhos em sua trajetória escolar os pais se veem cercados de dilemas.

  • O que deve ser cobrado do seu filho?
  • Será que é melhor deixá-lo livre, para que amadureça, e apenas observar?
  • É importante ter disciplina em casa, ou deixar que relaxem, considerando a carga horária pesada da maioria das escolas particulares?

Saber ser equilibrado em todas essas questões não é muito fácil.

Se você também enfrenta esses dilemas, vale a pena parar para analisar algumas dicas importantes sobre o que pode ser considerado como atitude de alunos exemplares, confira!

Dúvida Não é Defeito!

estudante-prestando-atenção.jpg

Há quem pense que os alunos que fazem pergunta são os que mais possuem dificuldade para aprender.

Isso não poderia estar mais equivocado!

Se o aluno encontra dúvidas, isso significa que dedicou tempo e atenção para analisar o conteúdo sobre o qual o professor está falando.

As dúvidas geralmente vêm dos alunos mais interessados, participativos e curiosos da classe.

Uma vez que o professor tem consciência das dúvidas mais comuns, começa a direcionar o seu método de ensino de modo a ser compreendido da melhor forma possível.

O aluno que tira dúvidas possui maiores chances de dominar o conteúdo e de tirar boas notas nas avaliações e trabalhos.

Vale lembrar que falamos a respeito de dúvidas pertinentes, relacionadas ao conteúdo atual, sérias e autênticas.

Se o seu filho apresenta dúvidas, melhor!

O aluno que está alheio ao conteúdo não consegue apontá-las, quase nunca. Tirar dúvidas é uma excelente oportunidade de aprendizado.

Um Conteúdo de Cada Vez

Alunos que pegam recuperação ou deixam tudo para a última hora acabam por apenas decorar o conteúdo, sem que aprendam de verdade. Isso é facilmente explicado.

Nosso cérebro precisa de tempo para processar as informações e absorvê-las da maneira correta.

Por isso, o cronograma é feito antes que o ano comece, para que os professores organizem o conteúdo de modo a dar tempo para que os alunos absorvam cada capítulo e cada etapa das disciplinas.

Assim, quando conseguem acompanhar este cronograma, são bem-sucedidos.

Por isso, um bom aluno não deixa tudo para depois e muito menos busca informações em excesso para se adiantar aos colegas.

Disso também não há necessidade!

Se o professor apresenta um novo conteúdo, o aluno não precisa se preocupar em demasia.

Ele terá tempo para perguntar, tirar as dúvidas, fazer os exercícios em casa, dedicar-se somente a este conteúdo para, assim que estiver se sentindo à vontade com ele, passar ao próximo.

Mas e as outras disciplinas?

Em muitos casos os novos conteúdos são passados simultaneamente.

Ora, se o aluno dedica duas horas extraclasse para rever o que foi passado em aula, não terá problema em analisar cada conteúdo com calma e sem pressa.

Vamos imaginar que ele viu três conteúdos novos hoje, um de cada disciplina, poderá estudar apenas dois deles ainda hoje, e deixar o terceiro para amanhã, com mais algum que possa ser passado.

Participação

estudantes-na-aula

A participação em sala de aula pode ser bastante relativa.

Você não pode forçar o seu filho a participar das aulas, assim como não pode fazer com que se contenha e seja recatado.

É importante ressaltar que não entendemos como participativo o aluno que agita a aula e faz com que os outros dispersem, mas sim aquele que discute com o professor de forma construtiva e ajuda a “quebrar o gelo” de colegas que queiram perguntar e são muito tímidos.

A participação em sala de aula é um excelente feedback ao professor.

Ao ouvir os alunos ele se situa no conteúdo e consegue dar mais ênfase naquilo que parece ser mais difícil de entender.

O aluno que participa consegue mostrar suas dúvidas, curiosidades, tendências e abre a possibilidade de debate a respeito do conteúdo, que é, na verdade, o objetivo principal da aula expositiva.

Quando o professor fala sozinho, geralmente os alunos encontram maior dificuldade para prestar atenção. Incentive o seu filho a participar, mas sem forçá-lo.

Estipular Tempo Para Revisão

Revisar não é rever todo o conteúdo com mesmo o afinco que foi destinado ao aprendizado das disciplinas, mas sim buscar refrescar a memória antes de alguma prova, por exemplo.

É importante destacar que para que um aluno possa revisar um conteúdo, é preciso que este conteúdo já tenha sido devidamente estudado por ele.

Caso contrário, não se trata de revisão!

Portanto, se o aluno estudou durante todo o bimestre, acompanhando os professores e os novos conteúdos, tirando dúvidas e fazendo exercícios em casa, antes da prova uma revisão leve já garantirá uma ótima nota.

Tudo o que ele precisa fazer é tirar um tempo alguns dias antes para rever alguns exercícios mais complicados ou algumas questões com as quais ainda não está muito à vontade.

Vésperas de avaliações não são momentos de nervosismo, stress e correria, muito pelo contrário.

É quando tudo o que deveria ter sido feito já o foi!

O aluno pode optar por fazer pequenas revisões ao concluir o estudo de cada conteúdo, para um exame mais minucioso sobre aquilo que foi visto em sala de aula.

Distrair-se é Importante!

crianças-brincando

Se o seu filho possui estas características, é interessado na escola, demonstra boa vontade em estudar além do período de aulas e tira boas notas, não há motivo para que você o impeça de fazer o que gosta, a menos que isso seja prejudicial de algum modo.

Deixe que faça esportes, saia com os amigos – com moderação – ou que se dedique a algum hobby.

O cérebro precisa de descanso e você não precisa minar o emocional do seu filho com cobranças desnecessárias, especialmente se ele não demonstra necessidade para isso!

Pais que são rígidos demais podem fazer com que os seus filhos desenvolvam graves quadros de ansiedade e nervosismo, que se mantém após o período escolar.

Por isso, equilibre, dose e seja sensato.

Apesar de você ter uma enorme influência sobre o seu filho, o seu alcance é limitado e no final das contas tudo dependerá dele mesmo!