Sempre chega um momento no qual o seu filho resolve pegar os cadernos e livros e estudar em casa para melhorar o seu rendimento na escola ou para se preparar para as provas.

Esta hora pode ser devido ao hábito criado de dedicar um pouco mais de tempo aos estudos, pode ser a consciência de que bons resultados exigem um esforço um pouco maior ou na pior das hipóteses, pode ser algo emergencial, visto que as notas não estão tão boas e pode fazer com que o aluno tenha que repetir o ano ou a matéria. 

Porém, a parte mais difícil nem sempre é a disposição, mas sim o método de estudos.

  • Como o seu filho gosta de estudar?
  • Gosta de chamar os amigos para estudar em grupo?
  • Ou prefere estudar sozinho, com total silêncio e longe de tudo que possa desviar a sua atenção?

Embora você possa fazer tudo o que estiver ao seu alcance para criar o melhor ambiente e proporcionar as melhores condições em casa para que o seu filho estude, confira sete fatores que podem atrapalhar o rendimento dos estudos e que muitas pessoas ignoram.

1 – Definir cargas horárias inadequadas

cargas-horarias-inadequadas

Não se engane:

Estudar várias horas seguidas por dia nunca funcionou para ninguém.

O cérebro humano não aguenta a carga de informação e chegará um momento que o indivíduo estudará apenas com os olhos, sem que o conteúdo chegue ao cérebro!

Por outro lado, definir tempos de estudo muito leves não são eficientes e dificilmente se consegue abranger mais da metade do conteúdo.

Meia hora pode ser pouco; quatro horas pode ser muito!

O ideal é estipular uma carga entre uma hora e meia e três horas para que o rendimento seja o melhor possível.

2 – Passar por cima das dúvidas

duvidas

O motivo pelo qual um aluno resolve estudar em casa quase sempre é sanar as dúvidas, rever o conteúdo e trabalhar sobre aquilo que tem mais dificuldade.

Qual é o fundamento de estudar em casa e passar por cima das dúvidas, ignorando as principais dificuldades?

Este é o momento ideal para familiarizar-se com o conteúdo e dominá-lo.

Isso nem sempre é uma tarefa fácil, mas certamente a recompensa será válida.

Garanta que todas as dúvidas serão tiradas, mesmo que seja necessário recorrer ao professor.

3 – Tomar estimulantes em excesso

cafe

Na adolescência é bastante comum que algumas pessoas tenham problemas com o sono.

As aulas na parte da manhã geralmente começam muito cedo e não é raro que os adolescentes tenham vontade de dormir por toda a tarde.

No entanto, é importante que resistam e tentem equilibrar o cansaço.

Muitos adolescentes optam por tomar energéticos e cápsulas de cafeína para permanecer acordados, porém essa medida não é é segura.

O abuso dessas substâncias pode causar ansiedade, stress, insônia e crises nervosas, colocando todo o esforço a perder.

O ideal é tentar se habituar a não dormir nas horas que se planeja dedicar aos estudos.

Uma soneca após o almoço faz bem à saúde, quando não excede o tempo de uma hora.

4 – Encontrar motivos para dispersar-se

distração

É comum que o aluno decida fazer várias coisas antes de começar a estudar, ou mesmo durante os estudos.

Ouvir uma música, mexer no celular, ver algo na televisão ou brincar com animais podem ser benéficos para um pequeno intervalo, mas tornam-se prejudiciais quando tornam-se o principal foco de atenção.

Por isso, o ideal é estudar em um ambiente longe de tudo o que pode ser motivo de dispersão.

Assim fica mais fácil concentrar-se e encontrar interesse no conteúdo escolar.

5 – Preparar uma rotina somente de estudos

rotina

Seguindo a mesma linha de raciocínio do item 1, estudar em excesso pode ser prejudicial em vez de ajudar.

Afinal, exageros nunca podem trazer algum benefício.

Todos precisamos de momentos de descontração, nos quais o cérebro descansa e se concentra em coisas que dão prazer.

Isso combate o stress e evita que os nervos sejam afetados.

Por isso, garanta que seu filho se esforce mas também se dedique a fazer o que gosta, sem obrigações.

6 – Escolher colegas desinteressados para estudar

aluno-desinteressado

Não é importante escolher os colegas mais inteligente da sala, ou mesmo aqueles que sabem todo o conteúdo.

O importante é que estejam interessados em estudar e compartilhar dos mesmos objetivos que o seu filho.

Colegas desinteressados certamente burlarão o tempo de estudos e não colaborarão com aqueles que desejam estudar.

No entanto, em muitos casos só é possível perceber isso depois que o grupo está formado.

Se perceber que algo assim acontece, sugira ao seu filho para que o grupo converse com as pessoas que atrapalham, exigindo que mude o comportamento ou que se retirem do grupo.

7 – Estudar somente os conteúdos que se gosta mais

biologia

No trabalho e na escola nem sempre podemos nos dedicar àquilo que mais gostamos.

Sempre há alguma disciplina ou área que não nos agrada, mas na qual precisamos ser, ao menos, satisfatórios.

Por isso é importante variar o conteúdo de estudos, de modo que dúvidas possam ser tiradas de forma mais uniforme, evitando que alguma disciplina possa causar problemas na hora das provas.

Assim, uma boa ideia é definir previamente os conteúdos, de modo que se possa planejar o que será estudado em cada dia.